Em defesa da vida

Admin / 07 agosto / 0 Comentário / 338


Uma das principais bandeiras de atuação do mandato da deputada estadual Liziane Bayer (PSB), é a defesa da vida. Por isso, a parlamentar tem se engajado e lutado junto a pessoas que defendem a vida, os princípios cristãos e a lei brasileira em relação ao aborto, que contraria a Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF 442), que tramita no Supremo Tribunal Federal, desde 2017, pedindo a legalização irrestrita do ato para gestações de até 12 semanas.

Liziane acompanhou nesta segunda-feira (06/08), em Brasília, o 2º dia de audiência pública do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o aborto, convocada pela ministra Rosa Weber, que elaborará o relatório do julgamento da ação que visa declarar inconstitucionais os artigos 124 e 126 do Código Penal, que criminalizam a prática do aborto. Durante os dois dias das audiências, pessoas expuseram pesquisas, experiências pessoais, opiniões e dados sobre o tema.

Na oportunidade, Liziane realizou a entrega, no gabinete da ministra, de um abaixo-assinado com cerca de 20 mil assinaturas contra a aprovação da ADPF 442, recolhidas em todo o Rio Grande do Sul, por meio do Movimento em Defesa da Vida: Contra o Aborto, onde foram reunidas assinaturas de pessoas identificadas com a causa em favor da vida, e contra o ato. A parlamentar defende que a vida merece proteção desde o momento em que é concebida, defendendo o direito e a integralidade da vida tanto da mãe quanto do bebê, pois são vidas distintas, de mesmo valor, merecendo promoção e proteção em igual grau de importância.

Hoje, o aborto no Brasil é permitido somente nos seguintes casos: quando houver risco de vida para a mulher, na gravidez resultante de estrupo, e se o feto for anencefálico. “Eu, digo não ao aborto por considerar que a vida do ser humano merece proteção desde a sua concepção”, destaca Liziane. O STF está sendo pressionado a tomar uma decisão que pode trazer resultados gravíssimos aprovando a DPF 442. Por isso, a parlamentar aceitou a missão de entregar a moção da sociedade gaúcha contra a legalização do aborto.

Agora, com o término das audiências, será criado um relatório com as falas de quem participou e distribuído aos 11 ministros da Corte, para consultarem, se quiserem, ao redigirem seus votos. A relatora da ação, ministra Rosa Weber, preparará o voto e o relatório do caso. Não há prazo para a ministra apresentar o seu parecer.

………………………..

Se você quer se juntar a este grupo de pessoas pela luta em prol do direito da vida, solicite uma cópia da Moção da Sociedade Gaúcha Contra a Legalização do Aborto, na fanpage: Movimento em Defesa da Vida!